Informativo 4 – Anestesia para o parto

23/06/2015 13:28

Por que o trabalho de parto dói?
Apesar de o trabalho de parto ser natural e fisiológico, a maior parte das mulheres apresenta dor moderada a intensa durante o mesmo. Essa dor possui diversas causas: dilatação do colo do útero, contração e distensão do útero, distensão dos tecidos e dos músculos para preparação do canal de parto.

Como ter um parto sem dor?
Isso só ocorre se for feita anestesia na coluna, deixando um pequeno cateter para injeção de anestésicos. Os anestésicos são injetados no decorrer do trabalho de parto.

Como é feita a analgesia para o parto normal?
A técnica mais utilizada é a anestesia sobre a coluna. Essas técnicas tiram a dor com poucos efeitos sobre a mãe ou o bebê.

Quais são as contra-indicações da anestesia do parto normal?
A realização de anestesia na coluna é contra-indicada quando sabidamente a mãe possui alergia ao medicamento anestésico ou se a mãe possui próteses de coluna, doenças de coagulação ou infecção no local da injeção.

Quais são os riscos da analgesia do parto normal?
Como qualquer outro procedimento médico, há riscos associados com a anestesia sobre a coluna. Pode-se citar os riscos dos procedimentos que envolvem agulhas, como infecção. Outros efeitos colaterais possíveis podem ser a diminuição da pressão arterial, dor de cabeça e coceira. Os riscos são pequenos quando acompanhado por médico anestesiologista.

Ao realizar uma anestesia para o parto normal aumenta-se o risco de se necessitar de cesariana?
Não.

Como é feita a anestesia para a cesariana?
É utilizada a anestesia pela coluna ou a anestesia geral.

 

PROJETO DE EXTENSÃO – Dowload – Informativo 4

Apoio – PROEX

Informativo 3 – Alergia e anestesia

23/06/2015 13:24

O que é alergia?
Alergia é o resultado de uma reação anormal do organismo frente a uma droga estranha a ele. Um indivíduo com predisposição à alergia e que tenha contato com uma substância estranha pode se sensibilizar a ela. Em uma outra exposição à substância ele poderá apresentar desde alterações de pele leves até alterações da Pressão e da Respiração.

Qual a importância da alergia para o médico anestesista? Por que devo informar meu médico sobre alergia?
A sala de cirurgia é um local único, em que o paciente é exposto a diversas drogas e substâncias em um curto período. Em caso de alergia prévia, informe seu médico para que ele tome as medidas preventivas.

O que é choque anafilático
O choque anafilático nada mais é que uma reação alérgica grave, de inicio rápido e que resulta em queda da pressão arterial, problemas na circulação, oxigenação, nos pulmões e coração, podendo levar à morte.

Qual o risco de acontecer choque anafilático durante a anestesia?
A incidência é variável. Estima-se que possa ocorrer entre 1 a cada 10 mil anestesias ou 1 a cada 20 mil anestesias.

Quem tem risco de fazer choque anafilático durante a anestesia?
Alguns grupos de paciente tem risco aumentado para alergia, tais como: trabalhadores de saúde, pacientes com operações prévias, pacientes com rinite ou asma, pacientes com alergias a drogas, entre outros. Profissionais como cabeleireiras também apresentam risco maior, devendo ser informado ao médico e investigado adequadamente. Ainda, pessoas com alergia a banana, Kiwi e nozes podem ter um risco maior de alergia.

Como prevenir um choque anafilático durante a anestesia?
Não há como prevenir o choque anafilático. Não existem testes ou exames de Laboratório. O mais importante são os dados da entrevista pré-anestésica e informar o medico se já teve alguma reação alérgica, principalmente se ela foi grave e necessitou de atendimento médico.

Como saber se eu terei choque anafilático à anestesia?
Não há como saber. Há casos em que o paciente já teve uma reação grave antes da operação. Nesse caso, um médico alergista deverá realizar testes para observar se há ou não alergia para um grupo de substâncias

PROJETO DE EXTENSÃO – Download – Informativo 3

Apoio – PROEX

Informativo 2 – O medo de ficar acordado durante a anestesia geral

23/06/2015 13:19

O que é a consciência durante a anestesia? Quando ela ocorre?
É dita quando o paciente sob anestesia geral consegue se lembrar de fatos ocorridos enquanto estava anestesiado. Vale destacar que algumas vezes os pacientes podem sonhar durante a anestesia, acreditando estar acordado e serem memórias reais, mas isso não caracteriza a consciência transoperatória.

Qual a frequencia de consciência durante a anestesia?
É um fenômeno raro e improvável de ocorrer em uma anestesia sob condições normais. A incidência geral estimada é de 1 a 2 casos a cada mil anestesias, sendo na maioria das vezes muito breve e não traumática.

Quais fatores aumentam o risco de se ter consciência durante a anestesia?
Entre os fatores que aumentam o risco são: sexo feminino, não utilização de tranqüilizantes antes da anestesia. Outros são relacionados à técnica de anestesia ou aos equipamentos utilizados. As cirurgias mais relacionadas foram as obstétricas e cardíacas.

Se eu tiver consciência durante a anestesia, vou sentir dor?
Não. Em geral a consciência durante a anestesia geral é muito rápida e normalmente não é acompanhada de dor. As impressões individuais sobre esse efeito são muito variáveis, podendo para alguns pacientes ser mais traumáticas que para outros. Pode haver sensação de pressão sobre a área da cirurgia, dor, medo ou pânico. Vale lembrar que além do medicamento para fazer o paciente “dormir” são utilizadas medicações para que não haja dor durante a operação.

Existe alguma forma de o médico saber que estou acordado?
Sim. Atualmente já existem aparelhos que mostram o grau de sono, sendo cada vez mais empregados nas anestesias.

 

PROJETO DE EXTENSÃO – Download – Informativo 2

Apoio – PROEX

Informativo 1 – Anestesia sobre a coluna

23/06/2015 13:11

O que é a coluna vertebral?
A coluna vertebral é uma estrutura formada por ossos, chamados de vértebras e pela medula espinhal, conhecida por espinha propriamente dita. Esta estrutura é envolta por um líquido, o “líquor”, popularmente conhecido por “liquido da espinha”. Estas anestesias podem ser basicamente de dois tipos: a raquiana e a anestesia peridural. Quando elas são realizadas, é possível que a pessoa seja mantida acordada, mas sem dor na operação, normalmente realizada abaixo do umbigo.

Como é a anestesia peridural?
A anestesia peridural é um tipo de anestesia aplicada no espaço peridural da coluna vertebral, ou seja, a agulha não atinge o espaço onde está o líquido da espinha. Esta anestesia tira basicamente a dor.

Como é a anestesia raquiana?
A anestesia raquidiana consiste na aplicação de anestésico onde está o líquido da espinha. O paciente não sente dor e perde a sensação do toque.

Quais as indicações de anestesia peridural ou raquiana?
As principais indicações são para cirurgias abaixo do umbigo, principalmente as ginecológicas, obstétricas, urológicas, para reparação de hérnias, cirurgia sobre o reto e ânus e nas pernas.

Quais os riscos das anestesias peridural ou raquiana?
Como qualquer outro procedimento médico, há riscos associados com a anestesia sobre a coluna. Pode-se citar os riscos dos procedimentos que envolvem agulhas, como infecção. Outros efeitos colaterais possíveis podem ser a diminuição da pressão arterial, dor de cabeça e coceira. Os riscos são pequenos quando acompanhado por médico anestesiologista.

Quais as contraindicações de anestesia peridural ou raquiana?
As contraindicações são: recusa do paciente em ser submetido à anestesia, impossibilidade de posicionar o paciente para realização a anestesia e quando há aumento da pressão no cérebro do paciente, doenças de coagulação, infecções de pele no local da punção e na presença de algumas doenças neurológicas.

FOLDER – PROJETO EXTENSÃO Download – Informativo1

Apoio – PROEX